Escola de Filosofia Chinesa - Integrada a Wu Xing Clínica

ASMA - curar ou aliviar ?

ASMA - curar ou aliviar ?

Desde 2.600 a.c, o livro Nei Ching do Imperador Amarelo, China, já apresentava a erva (Ma Huang), nossa efedrina era usada para  alivio da asma. No Egito, em torno de 1.550 a.c,  se faziam remédios de fezes de camelo misturada com cebola para aliviar dificuldades respiratórias.

A evolução parece pequena, na área da medicina, cabendo à indústria farmacêutica a criação de remédios variados e suas prescrições.

Inobstante isso, asma tem cura.

Parecem cada vez mais recorrentes os casos de asma entre a população, atingindo, em maior proporção, os mais jovens, desde crianças, inclusive.

O tratamento das crises respiratórias – asma -   pela medicina convencional, promove alivio rápido, mas projeta quase sempre a necessidade de  mais remédios e  surgimento de outros sintomas ( efeitos colaterais), basicamente pelo excesso de corticóides ( broncodilatores).

Os corticoides para asma tratam quase todos os tipos da doença, exceto alguns casos específicos, indicados para crises mais graves, entre eles, Prednisona ou prednisolona, hidrocortisona e beclometasona, budesonida, brometo de ipatrópio, xinafoato de salmeterol, beclometasona, nedocromil, fluticasona, triancinolona, cromoglicato de sódio, ou as bombinhas, cujos nomes são  seretide, aerolin, berotec, alenia, aerodine, combivent, fluir, bambair.

 

Os efeitos colaterais desses medicamentos, quando usados por longo tempo, induzem às deficiências hepáticas (fígado/vesícula biliar) e renais ( aumento de uréia e creatinina, isto é,  dificuldade diurese normal), bem assim a hiperglicemia ( diabete).

 

O tratamento proposto pode aliviar – e muito – os sintomas, os quais podem retornam na velhice, agora por conta dos efeitos colaterais, antes referidos.

 

Para a medicina chinesa, a asma é atribuída à deficiência constitucional que ocasiona produção anormal do sistema respiratório, ligada diretamente às condições de gravidez ( mãe se alimentava bem e tinha boa qualidade de vida?), do parto ( a criança nasceu de cesárea com excessiva dose de anestesia, antes de romper a placenta?) e da alimentação da criança, após o nascimento (mamou leite materno ou alimentos carregados de  carboidrato e sódio – leites em pó?).

 

As crises asmáticas podem ser desencadeadas por diversos fatores, como frio, infecções, distúrbios emocionais, alimentação inadequada e atividades  físicas impróprias.

 

As causas  da asma brônquica ( chiado no peito, dispneia, coceira garganta, espirros, catarro fino e esbranquiçado) apresentam disfunção do pulmão (fei), é claro, mas também envolve  baço (pi) e rins (shen).

 

Sem tratar esses três órgãos, não se removem as causas e a cura fica distante ou impossível.

 

A medicina moderna – ocidental – se ocupa de diagnóstico e tratamento medicamentoso unicamente  dos pulmões, culpando ácaros, poeiras ( tapetes, carpetes, locais fechados, etc ) ou contato com animais (gato, principalmente), o que não corresponde à verdade científica. 

 

Os pulmões, numa linguagem metafórica,  têm porta de entrada e saída do oxigênio, sem fechaduras. Para o asmático, chiado no peito ( sintoma principal e mais evidente), é entrechoque de correntes de ar que tentam entrar e sair, ao mesmo tempo, sem que uma peça  licença  para a  outra.

 

É como se duas pessoas fossem passar, ao mesmo tempo, numa catraca eletrônica, uma querendo entrar e  outra tentando sair. É claro que a catraca vai trancar ( e vai ter chiado).

 

O controle do ar que entra nos pulmões (inspirar) é recepcionado pelos rins. 

 

Rins para a medicina chinesa tem a função e controle de  fogo e água.

 

Nossa temperatura interna – 35/36º graus – é garantida pelos rins, sendo esta a razão que explica fraqueza nos rins daquelas pessoas com baixo peso, pressão arterial abaixo de 12/8 ( e nestas condições, normalmente mais friorentas que calorosas). É também tarefa dos rins a realização da diurese ( rins que retém líquido, por causa do excesso de sódio, uréia e creatinina, provocam alteração pressão e inchaços, pés, pernas,etc).

 

Então, se os rins são fracos, a  recepção do ar (oxigênio) inspirado pelos pulmões, é deficiente, causando entrechoque de correntes de ar, justamente no tórax ( inicio do meridiano dos pulmões – P1 e P2).

 

As crises asmáticas são também precipitadas pela alimentação inadequada, a qual exaure a energia do baço, porquanto o excesso de alimentação produz cansaço, lassidão em músculos e tendões, principalmente quando sobrecarregadas de carboidrato glutoso, açucares e sal ( tudo o que existe no organismo de  nossas crianças que adotaram leite em pó, nos primeiros meses de vida ou se alimentam com guloseimas brancas – farinhas, açucares e sal).

 

Esse tipo de alimentação produz muco e  retenção (umidade-ácida).

 

Ora, muco é catarro e sua retenção, por causa do excesso de sódio e fraqueza músculos e tendões ( brônquios e bronquíolos são músculos microscópicos), fica presa nas vias respiratórias. Daí o chiado e a dificuldade respiratória.

 

Atividade física imprópria é aquela desproporcional para criança até 16 anos, considerando que até essa idade os órgãos não estão definitiva e funcionalmente constituídos. Sobrecarregados, tornam-se fracos e não cumprem suas funções. O maior prejudicado, nessas situações, é o rim, comparado  a uma bateria que ganha e perde carga.

 

A criança e o idoso (  asma acomete mais as pessoas dessas faixas etárias) não podem perder energia  dos rins, nem do baço, sob o risco de serem fracos, cansados ( e vida curta).

 

Reforçando rins, baço e pulmões, se alcança a  cura da asma e tratar apenas pulmão, como fazem os modernos tratamentos, produz-se alivio dos  sintomas, mas os efeitos colaterais aparecerão adiante (mais cedo ou mais tarde). Enquanto não se fazem os reforços, pode-se aliviar  com chá de cebola cabeça, quiabo e eucalipto, fervidos juntos ( sem adoçar).

 

Em 12.07.16/mestre Shen/sinaten 01895